Agosto/2021

Como cuidar do seu Ficus lyrata

A Ficus Lyrata é nativa dos climas tropicais da África Ocidental, desenvolvendo-se em ambientes quentes, luminosos e húmidos. É uma planta de sol pleno, que se consegue adaptar a estar dentro de casa mediante determinadas condições. Localização e rega adaptada à espécie são fatores determinantes para garantir que a sua lyrata se mantém linda e saudável!

LUZ E LOCALIZAÇÃO

Muita luz e algumas horas de sol fraco!

É uma planta com grandes necessidades de luz e que não tolera ambientes pouco luminosos. O local ideal é aquele que recebe bastante luz (lembre-se que quando falamos de luz falamos, de uma forma geral, de claridade) e algumas horas de sol, da manhã ou do fim do dia, preferencialmente. Nos locais de produção, as lyratas crescem sob luz difusa, pelo que quando chegam às nossas casas deve ser feita a sua rustificação, isto é, adaptar a planta à luz do sol gradualmente. Não podemos colocá-la logo sob sol forte, porque não estando habituada a folha irá queimar. No entanto, sempre que possível, devemos fazer esta adaptação, uma vez que o sol é necessário para que cresça saudável. Em locais sem sol, deve garantir que a luz é abundante. A iluminação inadequada é uma das principais causas para perda de folhas e ataque de pragas nesta espécie.

REGA

Regar quando a primeira camada de substrato estiver seca. Nunca deixar o substrato secar por completo nem ficar encharcado!

A ideia é que o substrato não seque demasiado nem fique encharcado, por isso nem sempre é fácil encontrar o equilíbrio entre os dois. Na hora de regar, verifique como está a primeira camada de substrato, é a ela que deve prestar atenção. Está húmida? Vamos aguardar mais uma semana e verificar novamente. Os primeiros centímetros de substrato estão secos? É hora de regar. Uma dica: como a lyrata é bem sensível ao encharcamento, aguarde mais dois dias, de forma a garantir que apesar de seco no topo, o vaso não tem demasiada humidade no fundo. De uma forma geral, se notar manchas castanhas nas folhas da base, provavelmente está a regar em excesso. Se estas manchas ocorrerem na parte de cima da planta, este é um indicador de que falta água

FERTILIZAÇÃO

Fertilizar moderadamente!

É uma planta que não aguenta muito fertilizante, pelo que a frequência de fertilização deve ser um pouco mais espaçada do que o habitual para a maioria das plantas. Fertilizar a cada 2 meses será suficiente, apenas durante o período de crescimento. Deve fertilizar apenas durante a Primavera/Verão, enquanto a planta estiver no seu pico de desenvolvimento, e parar quando o tempo esfriar e a produção de folhas novas abrandar ou até mesmo parar. Pode também ir alternando entre adubo líquido (para plantas verdes) e húmus de minhoca (basta colocar uma pequena camada de húmus a cobrir a parte de cima do substrato).

TOXICIDADE

A seiva da lyrata (o líquido branco pegajoso que escorre quando a folha quebra ou é podada) é extremamente tóxica quando ingerida e pode causar irritações quando em contacto com a pele. Se ocorrer, lave abundantemente com água.

Nota: limpe regularmente as folhas com um pano húmido para evitar que fiquem muito empoeiradas e para dar uma humidade extra à planta. Esta limpeza contribuirá para uma fotossíntese mais eficiente.

Receba a nossa newsletter

Para saber de todas as novidades da Superbotânica e ler os posts mais recentes do nosso Blog – sempre em primeira mão.

Receba a nossa newsletter

Para saber de todas as novidades da Superbotânica e ler os posts mais recentes do nosso Blog – sempre em primeira mão.